Zenaide Carvalho - Assessoria e Treinamentos

Aviso

 

 
Por que fazer uma Auditoria Trabalhista?

“Seja qual for a tarefa, execute-a com alegria: fluirá em você a força infinita.”

(Seicho Taniguchi)


Áreas um pouco esquecidas pelo ramo de auditoria, as áreas trabalhista e previdenciária são algumas das que mais carecem de auditagem. Esquecidas porque seus resultados não constam em relatórios contábeis obrigatórios e nem demanda a publicação de pareceres de auditores independentes.


Mas por que seriam áreas em que a auditoria é tão necessária? Não querendo diminuir a importância da área contábil, a área trabalhista lida diretamente com pessoas. Os números e os dados são gerados diretamente da relação patrão x empregado e aí vemos que há sentimentos envolvidos.


E não só por isso. Na área trabalhista o reflexo é imediato na conta das empresas. Uma fiscalização sobre a contabilidade geralmente leva mais tempo que uma fiscalização sobre a área trabalhista. Se um auditor fiscal do Ministério do Trabalho chegar agora na empresa e constatar que há um colaborador sem registro ou trabalhando durante as férias, irá multá-la de imediato. Já vi vários casos de empregados – principalmente na área administrativa, que se acidentam no trabalho – quebram um pé ou um braço – e mesmo assim vão trabalhar ou porque têm medo de perder o emprego ou, ainda, porque acham que seu trabalho é imprescindível para a empresa. Também as terceirizações, quando mal feitas, são alvo das multas. A fiscalização é impiedosa nessas situações, autuando a empresa na mesma hora.


Leia mais...
 
Sócio-administrador é obrigado a ter remuneração?


“Persistindo no que gosta de fazer, seu talento se manifesta claramente.”

(Taniguchi)

 

Sempre recebo e-mails com a dúvida sobre a obrigação do sócio-administrador ter pro-labore ou honorários – e consequentemente haver o recolhimento da contribuição previdenciária – e tentarei esclarecer através deste artigo. Não entrarei em detalhes sobre a situação econômica do sócio ou os limites de lucros citados em legislação, mas veremos sob o ponto de vista previdenciário da obrigação de ter ou não a contribuição previdenciária em todas as empresas.

 

Segundo todas as legislações pertinentes à Previdência Social, citadas abaixo, o empregador é classificado como contribuinte individual DESDE QUE receba remuneração.

 

A Receita Federal do Brasil é quem fiscaliza a arrecadação previdenciária desde 2007 e na IN RFB 971/09 só considera o sócio como contribuinte obrigatório se receber remuneração.

 

Já que a obrigação de receber remuneração só consta por vontade dos sócios/acionistas em Contrato Social, deduzimos que tais pessoas físicas só serão contribuintes obrigatórios da Previdência Social se receberem a remuneração.

 

Leia mais...
 
Desoneração na Construção Civil: Como gerar o DAS e o DARF a partir de janeiro/2014


“Quem doa com generosidade recebe muitas bênçãos.”

(Seicho Taniguchi)


Segundo as instruções dos artigos 17 e 19 da IN RFB 1.436/13, a partir da competência janeiro/2014 as empresas de Construção Civil tributadas pelo Simples Nacional (Anexo IV) e que estão na Desoneração da Folha (artigos 7º a 9º da lei 12.546/11) terão que informar a Receita Bruta no aplicativo do Simples.


A pergunta que o aplicativo gerará – ao informar receita do Anexo IV será:


A atividade principal da empresa, assim considerada a de maior receita auferida ou esperada na forma do artigo 17 da IN RFB 1.436/13, está enquadrada nos grupos 412, 432, 433 e 439 da CNAE 2.0?


Se for (a maior recita é a auferida no ano anterior ou a esperada no ano de início de atividades), a resposta será sempre SIMporém a receita informada será diferente para as empresas com CEI não enquadrado e as demais. Os CNAEs 412, 432, 433 e 439 são os que entraram na Desoneração em 2013.

Se a empresa tem a maior receita dos CNAEs de infraestrutura (421, 422, 429 e 432) se forem tributadas pelo Simples Nacional NÃO ENTRAM NA DESONERAÇÃO DA FOLHA!



Leia mais...
 
FGTS Complementar – Como gerar a GRF só da diferença?

 

“A palavra cria todas as coisas.” (Taniguchi)

 

Sabe aquela hora em que você já pagou a GRF (Guia de Recolhimentos ao FGTS) e chega uma diferença para pagar de remuneração que gerará um valor maior de FGTS a recolher? É a hora de refazer a GFIP e gerar uma GRF apenas da diferença. Vamos relembrar como fazer?

 

1) Abrir o “movimento” no programa SEFIP 8.4 da mesma competência em que já houve o recolhimento do FGTS. Se já passou do prazo de recolhimento, abrir o movimento com marcação de FGTS em atraso e informando a nova data em que deseja pagar a diferença do FGTS. Verifique no seu sistema de folha como fazer, em caso de importação do arquivo SEFIP.RE.

 

2) Caso a tabela de FGTS não se atualize automaticamente, mesmo estando conectado à internet (após salvar a abertura do movimento em atraso, verifique em AJUDA – sobre o FGTS, no MENU do programa SEFIP), entre no site da CEF (WWW.caixa.gov.br) , área de downloads, baixe de lá a tabela de índices do FGTS e atualize o programa SEFIP.

 

Leia mais...
 
Desoneração: Empresas enquadradas em alíquotas de 1% e 2% - Como proceder?

Expresse gratidão com palavras e atitudes. Sua vida mudará muito de modo positivo.”

(Taniguchi)

Uma dúvida que existe desde que a Desoneração surgiu (novembro/2011), conforme a lei 12.546/11:

 

A empresa é enquadrada em atividade com alíquota de 1% (por exemplo, indústria – ou de maneira geral, empresas sem CNAE vinculado – não citado na lei) mas também tem receita de atividade de 2% (de maneira geral, empresas COM CNAE vinculado – citado na lei). Considerando que até a forma de cálculo é diferente (uma tem proporcionalidade e outra não), o que fazer?

 

Alguns profissionais estão enquadrando as receitas separadamente: pagam 1% sobre a receita de atividade de 1% no DARF 2991 e separam a receita de atividade de 2% e pagam em outro DARF de código 2985.

 

Porém, a partir da IN RFB 1.436/13 não recomendo o procedimento citado já que também pode haver receita de "outras atividades", que no caso acima têm tratamentos diferentes (na industria faz proporcionalidade e nas atividades com CNAE VINCULADO pagam o percentual sobre a soma de todas as receitas).

 

Leia mais...
 

Zenaide Carvalho

Nith

Blog da Zê

Agenda

Cursos presenciais:
Auditoria Trabalhista para Departamento Pessoal
Data: 14/07/2014
Local: SESCON Florianópolis/SC
Rotinas Trabalhistas e Reflexos no eSocial
Data: 16/07/2014
Local: SESCON Joinville/SC
Retenções de Tributos e Declarações nos Órgãos Públicos com Prática no Computador
Local: Salvador - BA
Data: 23/07/2014 a 25/07/2014
Horário: 08h30 às 17h
E-SOCIAL (SPED FOLHA) E DCTF-PREV
Local: CRC/SC - Florianópolis/SC
Dia: 28/07/2014 a 30/07/2014
Horários: 08h30 às 18h00
eSOCIAL (EFD-SOCIAL, SPED-FOLHA) e DCTF-PREV
Local: Brisamar Hotel - São Luís/MA Data: 06/08/2014 e 08/08/2014
Fórum Contábil da Construção Civil
Data: 20/08 a 21/08/2014
Local: Sescon Florianópolis
Seminário Contabilização 2014
Local: Gravatá / PE
Auditório do Hotel Porto da Serra
Data: 24/09 a 27/09/2014
Carga Horária: 12 horas
Rotinas Trabalhistas e Reflexos no eSocial - CRC/SC
Projeto Educação Continuada
Data: 09/10 a 05/12/2014
Carga Horária: 8h
404 - Fehler: 404
404 - Kategorie nicht gefunden

Die Seite kann nicht angezeigt werden, weil:

  1. Ein veraltetes Lesezeichen
  2. Eine Suchmaschine hat einen veralteten Index der Website
  3. Eine falsche Adresse
  4. Kein Zugriff auf diese Seite!
  5. Die angefragte Quelle wurde nicht gefunden!
  6. Während der Anfrage ist ein Fehler aufgetreten!

Bitte eine der folgenden Seiten ausprobieren:

Bei Problemen ist der Administrator dieser Website zuständig..

Kategorie nicht gefunden